Mostrar mensagens com a etiqueta Mensagem Privada. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Mensagem Privada. Mostrar todas as mensagens

domingo, 13 de maio de 2018

Mensagem Privada


A vida é uma constante mudança e isso não tem de ser mau. Aproveita! Um dia não vais querer olhar para trás e pensar o que podia ter sido se tivesses feito de forma diferente. Não deixes nada por dizer, nem nada por fazer, e assim, não te poderás arrepender.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Mensagem Privada


Não, não gosto de dizer adeus nem de ver o fim de nada. Prefiro dizer até um dia destes, mesmo que esse dia demore anos. Ou então, afastar-me sem uma palavra, e deixar no ar o mistério de não saber quando, como e porque é que nos voltaremos a encontrar. Assim não sou eu que ponho fim às coisas, mas as coisas que um dia acabarão ou não por si.

— Margarida Rebelo Pinto


quinta-feira, 3 de maio de 2018

Gosto!


Gosto do cheiro da chuva, da terra molhada . 
Gosto de andar descalça , de dizer disparates , de café sem açúcar. 
Gosto de passar o dia em pijama, gosto de ler,de escrever. 
Gosto do cheiro da relva acabada de cortar, de comer gelado no inverno. 
Gosto de ir ao cinema sozinha. 
Gosto de pulseiras, de fazer compras, de calças de ganga, de tennis all star. 
Gosto de pastilhas de morango, de beber água. 
Gosto de roupa interior preta. 
Gosto de sorrisos, de andar a pé. 
Gosto de malas, de roupa, de acessórios. 
Gosto de chocolate, de window shopping.
Gosto de museus .
Gosto da praia , do cheiro do mar, da areia quente nos pés. 
Gosto do outono, de andar á chuva. 
Gosto de ter razão. 
Gosto que me digam que estou bonita. 
Gosto de chorar, lava a alma. 
Gosto de rir até não poder mais. 
Gosto de pizza. 
Gosto de azul, de luz, de olhar a lua. 
Gosto de noites quentes , de dias que nunca acabam, de piqueniques, de comer com as mãos.
Gosto de ouvir musica com o som no máximo,de dançar ,de cantar. 
Gosto de musicais.
Gosto de ter um blog,de perder horas na net. 
Gosto de ler gossip. 
Gosto de mim. 
Gosto dos mimos das minhas sobrinhas , de jantares de família. 
Gosto de abraços fortes. 
Gosto de comer, de arroz doce, de conversas , de não fazer nada. 
Gosto de cozinhar, de banhos de agua fria , de rebolar na relva. 
Gosto de bad boys, de tatuagens, do barulho da chuva , de encontros inesperados.
Gosto de piscares de olhos e trocas de olhares, de segredos.
Gosto de sonhar, de cantar.
Gosto de coisas simples, de pintar as unhas, de dormir,de bricolage, de fazer biscoitos. 
Gosto de pensar,de sorrir,do meu cabelo ruivo, dos olhos, da minha boca.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Uma pergunta para as bloggers deste país.


Como é que vocês conseguem ir a tantas apresentações/showrooms/eventos na mesma semana?! Serei eu a única blogger com um horário laboral normal? É que eu não consigo ir a nenhum evento porque calha sempre a horas em que estou a trabalhar! E acreditem que havia muitos em que eu gostava de ir! Expliquem-me pff :)

In HOMESTORMING

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Não gosto!


Não gosto de despedidas.
Não gosto de ficar doente.
Não gosto de ficar sem bateria no telemóvel, de enviar sms, de ficar sem internet.
Não gosto do Facebook.
Não gosto de perder o autocarro,as chaves ou qualquer outra coisa.
Não gosto de conduzir.
Não gosto que digam o que tenho de fazer.
Não gosto de esperar.
Não gosto de fazer as coisas a presa.
Não gosto de não ter tempo para fazer nada.
Não gosto de açorda,de comer caracóis,de coca cola sem gás .
Não gosto do fim das ferias. não gosto de fazer e desfazer a mala.
Não gosto de chicos-espertos,de falta de civismo,de gente mal educada e de mal com a vida.
Não gosto dos santos populares.
Não gosto das pessoas que sistematicamente me batem a porta a pedir dinheiro para  instituições fictícias.
Não gosto de fumo de cigarro.
Não gosto de mentiras , de falsidades de facadinhas nas costas.
Não gosto de meias brancas, nem de botas brancas.
Não gosto de pessoas que mastigam de boca aberta.
Não gosto quando não vejo o meu trabalho reconhecido, não gosto de pessoas mal agradecidas.
Não gosto da generalidade da tv que se faz em Portugal, não gosto de futebol.
Não gosto de ficar com os sapatos molhados.
Não gosto de picadas de insectos.
Não gosto de fazer as coisas por obrigação.
Não gosto que digam que estou errada quando sei que tenho razão.
Não gosto de muita coisa!

terça-feira, 6 de março de 2018

Às vezes


Às vezes ficamos cansados. Às vezes precisamos de tempo. Às vezes precisamos de espaço. Às vezes precisamos de pensar. Às vezes queremos tudo, outras vezes não queremos nada. Às vezes não queremos ouvir, outras vezes ouvir é tudo o que queremos. Às vezes exageramos. Às vezes fechamos os olhos. Às vezes choramos. Às vezes rimos. Às vezes sussurramos, outras vezes gritamos. E quando isso acontece o coração ou fica muito, muito apertadinho, ou fica cheio,como quem quer explodir. Depende do momento. Depende da situação.

quinta-feira, 1 de março de 2018

Escrevo ou não escrevo?


Muitas vezes acabo por pôr só imagens. Só de pensar que há gentalha que lê o meu blogue, fecho imediatamente o browser. 1% dos leitores é que são gentalha. há aqui muito boa gente (a maior parte, felizmente) mas os escroques moem, moem e nesta altura da vida não apetece aborrecer-me com isto .

Pensamento roubado aqui

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Quando a coisa aperta fico repetindo, mentalmente ou em voz alta, que está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem.


Ainda não sei ao certo se isso funciona, mas proporciona alguma segurança. Nós sabemos que a mente é poderosa, bem como nossos pensamentos. Por falar neles, inúmeras vezes os danados nos pregam peças. Surgem na calada da noite e perturbam o sono, aparecem sem convite e vão entrando, invadindo a alma, o coração e desestruturando nossos sentimentos. Na vida, todo mundo quer ter o controle remoto para mudar o canal quando a programação está ruim, chata ou tensa. O problema é que não temos o controle de nada, nada mesmo. É inútil tentar dominar o amanhã, já que o coitado ainda nem chegou. Não existe hora marcada, as coisas mudam a cada segundo.

O meu maior sofrimento é não aceitar as coisas como elas são. Tudo é interrogação, mas eu insisto em querer uma garantia. Sei que apenas uma pequena parte depende de mim. Espera aí, será que é mesmo tão pequena assim? Se nós colhemos o que plantamos, uma parte imensa depende de mim (concorda?). São os actos de hoje que vão proporcionar um resultado positivo ou negativo amanhã ou depois. Por isso, procuro fazer o que posso. Mas tenho consciência que o que posso nem sempre é o melhor. E aí entro novamente num duelo sem fim comigo mesma: como assim não faço o melhor? Como assim não dou o que há de mais especial e incrível em mim? Quer saber? Não sei se me acho tão incrivelmente especial assim. Não aceito meus defeitos, duvido de algumas qualidades, volta e meia tropeço na minha auto estima que fica por aí, jogada em algum canto. Ela sofre, coitada. Sofre de abandono, é uma carente de afecto e colo. Acho que sou meio malvada com ela.

A verdade é que a auto estima não é minha best friend forever. Muitas vezes esqueço de convidá-la para eventos especiais, nem sempre a recebo com toda a atenção e delicadeza que ela merece. Erro feio com a coitada, que merecia tapete vermelho, espumante da melhor qualidade e uma massagem relaxante nos pés. Prometo tentar melhorar nesse ponto. E em vários outros, afinal, perfeição é uma palavra linda, mas só existe no dicionário.

Clarissa Corrêa

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Mensagem Privada


As pessoas são o que elas sãoNão podes torná-las melhores, nem podes torná-las piores. Não podes fazer nada por elas que elas não escolham primeiro. Podes é ajudá-las a escolher. Isso sim. E como ajudá-las a escolher? Escolhendo tu primeiro.Fazendo tu a tua escolha. Escolhendo a luz, mudando a tua frequência vibratória.
    Porque quando elas virem que tu mudaste, irão finalmente acreditar que é possível mudarE quando perceberem que é possível mudar, vão olhar para si próprias. E vão tentar mudar. E essa tentativa já é uma mudança, já é uma tremenda mudança. O facto de elas acreditarem que mudar é possível. 
  Percebes porque é tão importante mudares primeiro? E poderias dizer: «Mas mudar-me a mim próprio é mais difícil.» Claro que é. Por isso é que é tão importante. Se queres que uma pessoa faça uma determinada coisa, faz tu primeiroSe queres que uma pessoa aja de determinada maneira, age tu primeiro. Podem até elas não fazer o que tu querias, mas a tua mudança já começou. E isso é que é verdadeiramente importante.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Falta um bocado de coisa neste mundo.


E sobra outro tanto. Falta bom senso. Falta verdade. Falta respeito. Falta vontade. Falta educação. Falta saúde. Falta amor. Falta sinceridade. Falta igualdade. Falta paixão pelas coisas e pelas pessoas. Sobra egoísmo. Sobra estupidez. Sobra crueldade. Sobra desonestidade. Sobra preguiça. Sobra falta de caráter. Sobra achar que o mundo inteiro tem culpa das suas pequenas derrotas.

Clarissa Corrêa

sábado, 7 de outubro de 2017

Ultimamente simplificar tem sido a palavra de ordem .


Eu quero simplicidade em tudo, no dia a dia, maquilhagem , beleza, roupas. Não me sinto com vontade de me preocupar demasiado com certas coisas.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

E tu, de que tens saudades?


Tenho saudades de marcar jantares com amigos e de eles aparecerem todos.
Tenho saudades de chegar de manhã a casa e ver o sol a nascer, de ter sininhos nos ouvidos e a mal sentir os pés por ter dançado a noite inteira.
Tenho saudades de me olhar no espelho sem ser para tentar descobrir algo de que goste.
Tenho saudades de me deitar ao sol numa toalha num jardim a ler um livro qualquer.
Tenho saudades de poder dizer o que sinto e quero sem ser levada a mal ou julgada por isso.
Tenho saudades de sentir saber que estou no rumo certo e que não me irei perder.
Tenho saudades de olhar para o relógio e achar que três da manhã é uma hora excelente para se estar acordado.
Tenho saudades de mim mais sonhadora, menos crítica, com vontade de mudar o mundo inteiro e de ter a certeza de que o conseguirei fazer.
Tenho saudades de me sentir valorizada por quem sou e pelo que sei fazer.
Tenho saudades até de quem não conheci, do que não disse e podia ter dito, do que não fiz e mais do que tudo, saudades do irrepetível e do que não pode ser voltado atrás.